Especialidades

Tratamento a Laser

Os lasers  utilizados  em Odontologia são divididos em duas categorias: cirúrgico (alta potência) e terapêutico. Os lasers cirúrgicos, por apresentarem alta potência, são utilizados principalmente para cortes, seja de tecido mole (incisões), ou em tecidos duros (remoção de cárie, corte em ossos). Seu funcionamento está baseado na vaporização tecidual, na qual uma alta quantidade de energia promove a destruição do tecido, com precisão e, consequentemente, o seu efeito desejado, que é o corte do tecido alvo, com as vantagens adicionais de proporcionar a coagulação e a descontaminação. Por outro lado, os lasers terapêuticos ou de baixa potência são utilizados para acelerar os processos reparativos em diferentes especialidades na Odontologia, além de apresentarem ação satisfatória no controle da dor, promovendo efeito analgésico e melhorarem a resposta inflamatória. Por respeitar o limite de sobrevivência da célula, o laser de baixa potência apresenta efeitos diferentes dos lasers cirúrgicos.

A laserterapia tem se mostrado eficaz no tratamento da dor (hipersensibilidade dentinária, dores orofaciais, nevralgias); no tratamento dos distúrbios neurosensoriais (parestesias, paresias etc.); no tratamento da inflamação e na área de reparo ósseo (cirurgias e implantodontia). Também é importante destacar o uso dessa tecnologia no diagnóstico de cárie dentária.

O Laser Terapêutico , ou de baixa intensidade, também tem se mostrado extremamente eficaz no tratamento de mucosites (afecções bucais decorrentes de uso de quimio e radioterapia), aftas, herpes e quelites angulares, atuando na cura e prevenção de ciclos recorrentes.

Ortopedia Facial

A Ortopedia Facial é um ramo da odontologia que trata as relações entre os maxilares. O tratamento é feito com aparelhos chamados aparelhos ortopédicos faciais. Ao pé da letra Ortopedia dos Maxilares seria correção das relações desarmônicas entre as bases ósseas, enquanto Ortodontia trataria da correção da posição dos dentes dentro do osso.

A Ortopedia Facial recorre, habitualmente, a aparelhos removíveis, já existem aparelhos ortopédicos fixos também , que têm por objetivo redirecionar o crescimento dos ossos da face e dos dentes, diminuindo a necessidade do uso e o tempo de tratamento com os aparelhos fixos. Deve ser utilizada por pacientes jovens, já que devem estar em períodos de crescimento ativo para que seja efetiva.

Alguns casos recebem um tratamento combinado, utilizando-se aparelhos de ortopedia facial e de ortodontia.

Endodontia

Endodontia é a especialidade da Odontologia responsável pelo estudo, de todo o sistema de canais radiculares e dos tecidos periapicais, bem como das doenças que os atingem. Em casos de alterações por cárie, fraturas dentárias, trauma dentário, trauma ortodôntico, lesões endo-periodontais, necessidades protéticas e outras patologias endodônticas, o tratamento endodôntico (ou o tratamento de canal) está indicado, visando a manutenção do dente na cavidade bucal, e a saúde dos tecidos periapicais.

Extremamente importante por livrar o cliente das dores que são ocasionadas pelos motivos acima citados.

Estética

A Odontologia mudou, evoluiu e também o grau de exigência dos pacientes.

Não se aceita mais, nos dias atuais, com toda a tecnologia que dispomos, um tratamento que, além de restabelecer a função, não devolva também a estética ao paciente.

O Núcleo Odontológico trabalha com materiais restauradores de altíssimo nível, utilizando resinas de última geração e porcelanas que imitam com perfeição os dentes naturais.

Realizamos também clareamentos a led/laser ou com moldeiras individuais.

Informe-se com nossos profissionais. 

Cirurgia Bucomaxilofacial

A cirurgia bucomaxilofacial ou mais corretamente, cirurgia e traumatologia bucomaxilofacial, é uma especialidade da odontologia, que se objetiva no tratamento dos traumas de face como também de complementar a atuação da Estomatologia (especialidade responsável pelo diagnóstico e tratamento de lesões bucais) proporcionando a resolução cirúrgica de doenças do complexo maxilomandibular como também o tratamento de deformidades faciais (congênitos ou adquiridas) 

Dentre as doenças maxilofaciais existem podemos citar: os tumores benignos e malignos, os cistos , as enfermidades provocadas por microorganismos (bactérias, fungos e vírus), e manifestações orais associadas a doenças sistêmicas como AIDS, tuberculose, sífilis, leishmaniose etc. 

As deformidades faciais podem ocorrer como consequência de sequelas de doenças como o câncer ou traumas severos ou também distúrbios do desenvolvimento, como as síndromes ou alterações das bases ósseas como o prognatismo (aumento dos maxilares), micrognatismo (diminuição dos maxilares) ou a combinação delas. 

A cirurgia bucomaxilofacial é de âmbito ambulatorial ou hospitalar. Nos ambulatórios ou consultórios são exercidas cirurgias menores, na sua grande maioria sob anestesia local, onde são por exemplo removidos dentes erupcionados ou inclusos, pequenos tumores benignos ou pequenos cistos, lesões periapicais ou paradentais, implantes dentários, cirurgias pra adaptações protéticas entre outras. As cirurgias de grande porte são realizadas sob anestesia geral em ambiente hospitalar e demandam maiores cuidados. São as cirurgias de grandes tumores, fraturas faciais, cirurgias ortognáticas entre outras. 

Promovemos o tratamento cirúrgico de algumas anomalias existentes na boca que podem ser realizadas em consultório e que exigem anestesia local: cirurgia de siso, resto radicular, dentes permanentes (definitivos) e decíduos (de leite).

Disfunção de ATM

A Articulação Temporo-mandibular (ATM) é a articulação que une a mandíbula ao crânio na região anterior à orelha. Alterações da oclusão (mordida) podem levar a um quadro de disfunção desta articulação com consequentes dores e estalos ao mastigar e falar. Para que se tenha ideia da importância desta patologia, cerca de 50% dos casos de cefaleia (dor de cabeça ) crônica são provenientes de disfunção da ATM. Através de placas de mordida, aparelhos ortodônticos, medicação e reabilitação protética, conforme o caso, nossa clínica oferece o que há de melhor em Disfunção da ATM.

 

Sintomas mais comuns da Disfunção da ATM:

  • dores de cabeça na região da testa, fundo de olho e nas têmporas;
  • dores de ouvido;
  • zumbidos no ouvido;
  • dificuldade para mastigar, principalmente alimentos duros;
  • dores durante a mastigação;
  • tonturas;
  • vertigens;
  • barulho próximo à orelha ao abrir e fechar a boca;
  • desgaste dental excessivo;
  • sensação de travar a mandíbula.

Prótese e Reabilitação Oral

Basicamente existem dois tipos de Prótese, as móveis e as fixas. As móveis podem ser removidas pelo cliente, geralmente roachs e dentaduras para substituir elementos dentários perdidos. Existem hoje no mercado materiais à base de silicone para confeccionar estes trabalhos, proporcionando maior conforto e uma estética bastante satisfatória ao cliente.

As fixas são cimentadas e não podem ser removidas pelos pacientes. São as pontes fixas, as restaurações metálicas e os trabalhos em porcelana, que constituem a melhor escolha estética, imitando os dentes naturais perdidos.

Reabilitações orais extensas podem ser feitas, utilizando estes materiais e devolvendo aos pacientes a função e estética perdidos. 

Os profissionais do Núcleo Odontológico estão 100% aptos para realizar estes trabalhos.

Implantondontia

Implantes – O que são?  

A perda de um ou mais dentes permanentes é uma situação desconfortável e preocupante para qualquer pessoa, em qualquer idade. Só quem já passou por isso sabe o quanto a falta de um dente pode nos deixar inseguros para comer ou sorrir, mesmo entre amigos. Contudo, com o avanço científico e tecnológico, essa situação nos assombra cada vez menos.

Já é possível contar com uma intervenção cirúrgica que substitui a raiz do dente por pinos de titânio implantados no osso da mandíbula ou maxila. Cerca de pouco tempo depois, os pinos se unem ao osso formando uma única estrutura. Sobre o pino podem ser acoplados coroas, próteses fixas (cimentadas ou parafusadas) e também próteses móveis. Outra grande vantagem é que até a colocação das próteses definitivas, os dentes provisórios podem ser instalados para que o paciente não precise interromper suas atividades sociais.

O Núcleo Odontológico opera esse tipo de intervenção por acreditar ser a mais próxima de se ter um dente natural. Os implantes são imperceptíveis e duráveis. É uma técnica que pode ser utilizada em pessoas que perderam um ou mais dentes. Por serem acoplados ao osso, os implantes oferecem um suporte completamente estável para os dentes artificiais, dentaduras parciais e próteses.

 

- PERGUNTAS MAIS FREQUENTES -

1 - Os benefícios desse tipo de implante são só estéticos?

Não. Além de um belo sorriso, quem se submete a esse tipo de intervenção evita problemas de mastigação, gastrointestinais e alterações das estruturas do rosto, muito comuns quando se perdem os dentes definitivos. 

 

2- Qual a durabilidade dos implantes?

A durabilidade irá depender da localização do implante e da colaboração do paciente quanto à higienização, não podendo esquecer as visitas regulares ao dentista. Há casos de implante ósseo integrado que duraram mais de 25 anos.

 

3 - Qualquer pessoa pode fazer esse tipo de implante?

É necessário que se tenha uma boa saúde bucal, gengivas em bom estado e ossos propícios para sustentar os pinos. Além das condições mínimas para se submeter a uma cirurgia simples, como pressão normal e nenhuma doença crônica.

 

4 - Demora quanto tempo para cicatrizar?

Em geral, leva-se de 3 a 6 meses para que o implante cirúrgico cicatrize antes da colocação do dente artificial.

 

5 - Existe risco de rejeição?

Próximo de zero. Os implantes são fabricados em titânio e extremamente bio compatíveis.

Ortodontia

Ortodontia – O que é?

Harmonia, estética e funcionalidade. São as principais funções do tratamento ortodôntico.

Já foi o tempo em que a desculpa usada para evitar os temidos aparelhos fixos era a sua estética. O sorriso, antes metálico, se transformou hoje em sutis quadradinhos, quase imperceptíveis, feitos em porcelana. Esse é um dos muitos avanços trazidos pela ortodontia – especialidade que faz o diagnóstico e a correção da má oclusão dos dentes decorrente do desalinhamento dos mesmos. O posicionamento correto dos dentes melhora a autoestima, a mastigação e facilita a higienização dentária. Ou seja, além de um sorriso mais bonito, você aproveita melhor os alimentos ingeridos e evita cáries e doenças na gengiva. É sinal de beleza, funcionalidade e prevenção.  A ortodontia também auxilia outros tratamentos, como os implantes, ajudando na mecânica de alinhamento de dentes para a instalação dos artificiais e na preparação para cirurgias bucomaxilofaciais.

O tratamento ortodôntico pode ser feito antes mesmo da troca de todos os dentes de leite, como ação preventiva, ou depois do total surgimento dos permanentes, como intervenção corretiva, com aparelhos fixos ou móveis.

Não há limite de idade para a correção!

Muitos dos problemas ortodônticos são decorrentes de hábitos adquiridos quando criança e podem ser evitados ou amenizados. Entre eles estão:

Dormir apoiando o rosto com as mãos ainda na fase de crescimento, o que pode vir a desenvolver “mordida cruzada”.

Respirar pela boca por conta de alergias ou adenoides.  A respiração bucal provoca má formação da harmonia facial, podendo gerar problemas tais como:  palato fundo, face alongada, mordida cruzada, caracterizada também pela presença de  olheiras e dificuldade de fechamento de lábios.

Morder canetas, roer unhas, chupar dedo, a perda precoce de dentes de leite ou o mau posicionamento da língua, além de problemas hereditários, como dentes separados demais ou dentes encavalados.

Por isso, é importante que os pais estejam atentos e é fundamental levar seus filhos ao dentista desde pequenos.

Periodontia

Periodontia – O que é?

Gengiva e ossos que dão sustentação aos dentes. Esta é a área de atuação da periodontia.

Algumas pessoas esquecem que para manter um sorriso bonito e saudável é preciso dar atenção a outras partes da boca, além dos dentes. Por isso, é tão importante estar atento à saúde periodontal.

 

Saiba mais sobre os tratamentos da periodontia:

Plástica de gengiva: 

No geral, a cirurgia é aconselhada para corrigir irregularidades ou defeitos estéticos na gengiva, como crescimento exagerado, perda de altura ou excessos gengivais insatisfatórios.

Um dos casos mais comuns é o da gengiva que cresce além do normal, dando a impressão de que os dentes são pequenos.

 

- PERGUNTAS MAIS FREQUENTES -

1 – Doença periodontal e gengivite são a mesma coisa?

Não. A doença periodontal é uma inflamação dos tecidos que circundam os dentes e atinge o suporte ósseo que envolve as suas raízes. Já a gengivite não compromete a parte óssea e só atinge a gengiva.

 

2- Quais os sintomas em quem desenvolveu uma doença periodontal?

O sintoma mais comum é o sangramento durante a escovação ou com o uso do fio dental. Importante observar também se há inchaço, retração ou acúmulo de comida na gengiva e instabilidade ou mudança repentina na posição dos dentes.

 

3 – O uso do fio dental deve ser suspenso se ocorrer sangramentos?

De forma alguma. Seu uso deve continuar se estiver sendo feito de forma correta. O fato de estar sangrando é sinal de que há bactérias na região e o fio dental é importante na tentativa de removê-las.

 

4- O tratamento pode ser feito com o uso de medicamentos?

Não. É imprescindível para o sucesso do tratamento que a placa bacteriana presa ao dente seja removida e isso só é possível de forma mecânica.

 

5- Como é feita a retirada da placa bacteriana?

Por meio de uma raspagem nas raízes dos dentes. Quando os instrumentos não conseguem atingir as partes comprometidas é indicada uma cirurgia para permitir o acesso.

 

6- Após a retirada das placas, há uma recuperação total dos tecidos?

Infelizmente, não. Exceto a gengiva, os demais tecidos irão apresentar sequelas. Entretanto, as alterações provocadas pela doença periodontal, como a retração gengival ou o deslocamento do dente, por exemplo, podem ser minimizadas com intervenções cirúrgicas e próteses.

 

7- Com qual periodicidade deve ser feita a manutenção do tratamento?

Para evitar que haja reincidência ou progressão da doença, recomenda-se o retorno de 3 em 3 meses, para os casos mais avançados, e de 4 a 6 meses para casos que estejam nos estágios iniciais.

 

8- Como faço para prevenir essa doença?

Com o uso correto do fio dental e uma escovação adequada. Além de limpezas bucais periódicas feitas por um profissional a cada 6 meses.

Av. Castelo Branco - 239 - Horto - Ipatinga/MG - Telefone Recepção: (31) 3824-6670 | Telefone Escritório: (31) 3824-2467